quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

47. PERCA QUASE TUDO, MENOS A VAIDADE E A POSE!




Sempre evoco minha avó Maredina quando começo a pensar no tema “vaidade”. Minha avó era danada, podia estar na maior saia justa, num aperreio danado, mas nunca perdia a pose, nunca. No auge da minha fase “hiponga” misturada com o comunismo de butique (lá pelos anos 80), onde praticamente mal lavava os cabelos e uma calça jeans era quase um insulto (o legal era andar com umas roupas que pareciam sacos de açúcar) era um ham, ham blasê interminável (acompanhado com um leve movimento de cabeça) quando ela insistia em repetir:"minha filha, você é tão bonita (qual avó não acha?) se arrume um pouco mais. Temos que ser vaidosas, cultivando a beleza do corpo, uma vez que ele é o templo da alma”. Achava aquilo duma frescuuuuura.
Claro que esta fase passou, e apesar de não ser nem 1/3 como minha avó gostaria que eu fosse, com o tempo fui valorizando algumas coisinhas relativas ao universo feminino.
Pois então. Nem sou muito vaidosa assim, mas pra quem tem câncer de mama a coisa fica bem difícil, nossa, o que já era complicado (estar meio gordinha e não caber na roupa adequada, aquela espinha que não curou, o pé que está um horror, e por aí vai...) agora dobrou, porque além de tudo isso, você fica careca!
Pois então, você que achava que já tinha problemas, vai ter que lidar com novos.
Peruca: Tente achar uma peruca legal, quero é ver. Quase impossível! Se não fosse a minha sócia e amiga Rooooooooooooose tomar para si a tarefa de procurar e pedir ajuda aos universitários (no caso alguns cabelereiros conhecidos do mundo do cinemal e TV) eu estaria ferrada. Foi uma pesquisa incrível que ela fez, admirável. Para alívio meu, e dela claro, ela achou uma bem lindinha, fiz até um personagem interessante quando saía por aí. Foram meses de dupla personalidade e tiração de onda, paqueras e pegadas mais afoitas (peruca mexe com a gente... nossa...).
Portanto, quando receber este diagnóstico desagradável, calma, não compre a primeira peruca que ver na sua frente (tendência imediata!) e ligue correndo para uma amiga te ajudar a procurar. Ou melhor, dê esta tarefa para uma amiga , há de ter alguém querendo te dar uma força, ora bolas. E calma, muita calma nessa hora. Experimente, leve na sua cabelereira, aprenda como lavar, secar, o que pode e não pode, veja onde vai guardar para não assustar as visitas ou deixar vulnerável às garras do seu gato (no meu caso), aliás, peruca é quase um animal doméstico!

Só que peruca e verão (a estação) definitivamente não são amigos! E por mais que a peruca seja linda, como foi no meu caso, pinta aquele “sai deste corpo que não te pertence”, e a vontade mesmo no verão é de ficar careca. É calor, é suor, com o tempo ela vai perdendo o jeito, enfim, um horror. No entanto, ficar careca full time não dá, e quando você tem uma filha adolescente, menos ainda. Se elas já te escondem naturalmente, imagina uma mãe careca indo numa reunião da escola? Periga ela fingir que não te conhece, e sua auto-estima piorar muito. Aí tem os lenços, os melhores chapéus, o boné adequado para a tarde e noite, e etc, etc. Queria continuar falando sobre isto, tenho assunto pra páginas e páginas, mas comento na próxima, estou tentando achar uma pochete (não! pochete não!!!!) que caiba o dreno pós-operatório.

Ah, a foto deste post é da Andrea Cals. E a gata é a nossa Marrie, emaranhada nos meus lenços..

9 comentários:

Solange disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Solange disse...

Oi Clélia,

Tô morrendo de rir... dos contos da peruca... lembrei da minha.... rsrsr.
Uma dica p/ o dreno, prenda-o em um cinto no seu corpo um pouco mais p/ cima da cintura vista uma camisa... e é só sai por aí.

Bjs.

marymary disse...

Deus abençoe você e e seu pai e a todos que você ama!
Beijos
Maymary

rosario disse...

Olá, Clelia
Espero que esteja se recuperando bem! E seu pai tb!
Eu tb tive uma avó super vaidosa, lembro-me dela contando como foi quando ganhou sua primeira meia de seda. Ela usava aquela tintura lilás no cabelo era um charme. Sou mais ou menos vaidosa, mas o cancer fez com que eu olhasse mais para mim. Uma vez gorda, careca, sem cilíos(odiei ficar sem cilíos e sobrancelhas) para mim foi pior ficar sem eles do que ficar careca.Fiquei com aquela cara redonda humm, um difícil adptar...
Comecei então a usar muitos lenços que fui ganhando de pessoas queridas. Fiquei careca duas vezes e nunca comprei ou pensei em usar perucas. E hoje tenho um projeto de cabelo, ralinho e branquinho, mas depois de muitos pedidos minha médica me deixou usar uma rena organica. Ai sim ficou bacana, e continuei usar lenços e muitas faixas, isto passou a fazer parte desse meu universo. A peruca realmente é um treco estranho!

clelia disse...

Solagen,Mari e Rosário... vou falar ainda dos lenços,mas Rosário, eu já acabei a quimio e ontem me ataquei e passei henna. Nossa, que diferença! eu nem lembrava mais da cor do meu cabelo. Solange,já virei uma expert com o dreno, é praticamente da família. bjs estrsrsrs bjs

Jeronymo disse...

Gente,
Sera que n~ao cabe uma pintura ? Tipo aqulas que aquele cara fazia em corpos pelados .
Beijo
Je

Juliana disse...

Oi, Clélia! Tenho acompanhado seu blog. Seu senso de humor é uma coisa simplesmente deliciosa, moça! Estou passando por uma situação muito semelhante à sua e quando meu humor fica pior do que o do Alborghetti de TPM eu penso nos seus escritos. E não vejo só humor, mas franqueza. Você diz as coisas como elas são, mesmo - e não são bolinho... Tudo de bom para você e seu pai. Beijos paulistanos!
PS - Eu rachei de rir quando você disse para não comprar a peruca logo depois de ouvir o diagnóstico... Sabe que eu fiz quase isso? Felizmente deu certo - a que comprei é bem parecida com meu cabelo e é ela que tem passeado por aí comigo - e pior: arrancado elogios! O que já me perguntaram sobre o tom de vermelho lindo que estou usando...

Anônimo disse...

Bem ouvir falar que o leite do tronco da árvore da mangaba misturado à água não sei a proporção de quanto, tem curado pessoas de câncer, lá em sergipe.

Anônimo disse...

O lençinho de Nossa Senhora e o óleo de são Rafeal tem curado muitas pessoas de câncer é só ver os testemunhos no site de espacojames.com é maravilhoso.