quarta-feira, 26 de agosto de 2009

78. SEU BESSA, GUENTA FIRME!


Neste mês de julho e agosto estive fortemente comprometida com o trabalho que estava muito intenso. Normal, e eu gosto. Mas o fato é que além do trabalho, acabei me fechando em copas....

O câncer, como já falei em post anterior, resolveu brincar na minha seara, e meu pai desde dezembro tem enfrentado todo tipo de desconforto por conta do câncer de pulmão descoberto já em estado avançado. Em Dezembro descobrimos uma metástase, o que nos deixou atônitos e tristes, claro, afinal a nossa conta já estava preenchida! Que nada, um passinho à frente, por favor, e no mesmo dia que fazia minha mastectomia meu pai enfrentava a primeira quimioterapia . Só aqui dá rima, no mais é puro mal estar.

Certamente está sendo muito mais difícil lidar com o câncer do meu pai do que com o meu. O meu tinha controle, o do meu pai não mais. Já não tem mais cura, e agora pensamos simplesmente em lhe dar conforto, amor e dignidade.

Sou a filha mais velha, e de longe meu pai é o homem que eu mais amei ou amo em toda a minha vida. E olha que eu já tive muitos amores e conheci muita gente bacana no meio do caminho, mas meu pai é fora de série. Excelente pai, grande amigo, bem humorado, muito inteligente, papo agradável, sempre uma presença valiosa e discreta em nossas vidas. Precioso. Tenho estado com ele o máximo de tempo que eu posso, acompanho minha mãe onde dá, viro mãe e filha em minutos. O que tenho feito com ele? Lendo histórias e o jornal, vendo jogos do Botafogo na TV . Coitado do meu pai, além de câncer é torcedor do Botafogo, como eu...E claro, fico fazendo cafuné, contando piada, exagerando nas cores, levando o máximo de vida que eu posso para dentro do seu quarto.

E agindo, como já nos ensinou Paulinho da Viola: ...“Faça como o velho marinheiro, que durante o nevoeiro, leva o barco devagar”.

Aguenta firme papai, estamos juntos nesse barco.

8 comentários:

Anônimo disse...

Querida Clélia
Vc me deu aula na FGV aqui em SP e sempre acompanho o seu blog.
Ás vezes a vida não para de criar pedras em nosso caminho.
Mas cabe a nós plantar as flores e ver a beleza em momentos difíceis.
Vc sabiamente o faz, com maestria.
Acredito que seu pai com certeza lhe ensinou bem isso e que vc maestralmente deve ensinar para a pequena Elisa.
Que a vida te traga muitos outros momentos bons e lindos e que te dê força em um momento dificil como este.
Bjs
Elisa Chalfon

Mylla Galvão disse...

Clélia,
Sabe aquele poema do Drummond? "Uma pedra no meio do caminho?"
Se não houvessem pedras em nosso caminho, não saberíamos viver. Pq então a vida seria fácil demais...
Que Deus abençoe seu pai...
E te abençoe vc tb!!!
Cuide dele com carinho, pq ele mto fez por vc!!!
Que saudades do meu... que já se foi...

bjão

Conscientemente disse...

Clélia

Aceite o meu abraço mais profundo e continue a levar vida o quanto mais puder.
Ame profundamente e isso fará a diferença.
Estou orando por vocês...

Edelvira Lúcia
Sorocaba SP

Mylla Galvão disse...

Clélia,

Venha participar da Blogagem Coletiva do Vidas Linha nos dias 04 e 05 de Setembro...
Passa lá no blog: http://vidaslinha.blogspot.com

Conto com vc!!!

Rubia Raquel disse...

Clélia!!! Faço parte dessa corrente "Guenta firme S. Bessa". Positive vibration!!!
Um grande abraço!!!

Rosaria disse...

Clélia,
Qdo conheci seu blog, descobri várias coisas em comum, inclusive o nosso sobrenome, Bessa. A nova coincidência é que meu pai, Seu Bessa (o meu, seu bessa), tb está com câncer. Só que de bexiga. Descobrimos agora, mas em estado avançado.
Bom, o jeito é continuar tendo fé, força e a certeza de q devemos realmente aproveitar todos, inclusive os menores, momentos da vida.
Força p/ nós todos!

Rosario - SP disse...

Clelia, passei essa dor com meu pai, que não morreu de câncer, mas de efisema pulmonar. Estava sofrendo tanto, que eu me dobrava sobre ele e pedia misericórdia a Deus. Abraço com amor para vc e seu querido pai...

Veridiana Souza disse...

Puxa, que leitura tive agora, como fiquei comovida com o que escreveu. Força.