quarta-feira, 1 de abril de 2009

61. TEM DIAS QUE A GENTE SE SENTE....



Dia 01 de abril, dia da mentira.
Eu, logo hoje, tive uma vontade danada de sair soltando verdade pelas ventas, rasgar a fantasia, chutar o balde ou o pau da barraca, mandar sair da frente porque senão é pênalti.
O fato é que hoje me deu um mau humor danado, não conseguia explicar o motivo. Não era TPM, uhhhh, eu sei bem como é TPM. Não era nada especial, não tive pesadelo e nem dormi com a calcinha apertada, mas sabe aquela sensação de “todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às 6 horas de manhã”? Pois foi...E aí a coisa só piorava.
Da minha porta até pegar o carro na garagem foram duas rosnadas: A primeira com a minha gata Marrie, e pude sentir meus poucos cabelos mais arrepiados do que os pêlos maravilhosos dela. A segunda foi pra cadela “mala ’da minha vizinha, dessas que mais parece um rato (não a vizinha, mas a cadela) e cuja insistência em colocar um lacinho e um frufru a torna mais ridícula ainda. Não minha vizinha, mas a cadela.
Na garagem, o nada educado do outro vizinho (moro num prédio de 40 vizinhos!) que fechou a saída do meu carro e tive que ligar para “trocentos” apartamentos pra saber de quem era o tal “carro com insulfilme para proteger dos assaltos” que parou atravessado numa vaga ao lado da minha. Ah, e ainda deixei cair o celular num recuo que me fez perder uns minutos até achar algo fino que pudesse resgatá-lo, enquanto ele tocava desesperadamente e eu não podia ver quem era. Olha, o dia prometia e ainda eram 7:30 da manhã!...
Entrei no carro, enfim. Pude respirar fundo (mesmo dentro de uma garagem de prédio) e tentei me acalmar. Fiquei ali parada, com uma vontade de chorar muito grande, num misto de irritação, impotência e tédio. E aí chorei mesmo. De soluçar!
Na verdade estava indo para a minha 13* radioterapia (no total de 25), eu estava de saco cheio! Era isso. Estava de saco cheio desta rotina sem graça nenhuma que é de ir na radioterapia todo dia e fazer tudo sempre igual.
Como dizem, “quem não quer brincar, não desce pro play”. Era isso, hoje, definitivamente eu não queria brincar de ser uma paciente em tratamento de câncer! Mas não dá, né? Não sou burra...
Aí resolvi voltar pra casa e começar novamente o dia.
Peguei um papel e uma caneta e escrevi 04 coisas que eu gostaria de fazer antes do fim da semana, e resolvi:
1 - Ir ao cinema
2- Fazer um bolo de chocolate
3 -Contar pra minha mãe que eu não sou mais virgem
4- Escrever uma carta de amor e mandar pra minha filha pelo correio. Será a primeira carta (e talvez a última) que ela vai receber pelas mãos do carteiro de roupa amarela neste mundo de hoje cheio de email, orkut, facebbok, e etc.
Só sei que me fez um bem danado e pude sair mais feliz pra mesmice da minha radioterapia. E se cair de novo, normal, não sou de ferro. Choro outra vez, e relaciono mais 04 coisas que gostaria de fazer.
Hoje aprendi uma coisa importante: a gente tem que se curar pra poder se curar.

16 comentários:

Pah disse...

Meu! Descobri teu blog hoje e adorei! *-*
E não adianta, é assim mesmo, tem dias que o mundo desaba... gostei da idéia de escrever quatro coisas ;)

. disse...

Pois é, minha amiga, me sinto exatamente como vc... e isso acontece toda segunda e quarta. E de vez em quando no domingo eu já tenho o "esquenta"...
Força na peruca pq já passamos por coisas piores. Não é agora que vamos nos "abater"

Beeijo

Menina Robô disse...

E eu... com esse meu pescoção... aff... sei como é Amiga.
Também não concordo muito com esta tecnologia, com esse negócio de email, orkut... etc... as pessoas ficaram mais preguiçosas de expressar seus sentimentos, nem visitar mais o amigo visitam, muito menos eescrever uma carta. Ahh falar nisso, vc me deixa escrever uma carta pra vc? se sim, envie-me seu endereço pro meu email: ninytakita@gmail.com

Bjokas =*

Kariny - este é o meu verdadeiro nome.

luciane disse...

..pois é..tem dias q a gente se sente...maravilhoosa e outros nem tanto assim...estou na minha sétima quimio..falta uma das poderooosas..dps vem a radio...e continuarei com a qumio até ano q vem..afinal sou her-2 e isso não é pra qq um..rs..rs...tb procuro achar coisas boas no meio desse pesadelo...afinal eu descobri nem um mês após voltar de lua-de-mel..pode isso??? ninguem merece...bem o mel o marido vai ter q esperar um pouco mais...mas tudo passa...e é nisso q a gente tem q se concentrar...não tenho cabelos,pelos,cilios,sombrancelhas,estou gorda...(inchada é melhor..rs..rs..) mas e daí ??? eu tenho a vida...e não vou deixar ela escapar assim de mim....to correndo(sentido figurado) atras dela...e ela não me escapará...bjs..luciane- mogi guaçu-sp

luciane- mogi guaçu-sp disse...

ah..se quiser trocar e-mail...lulealdini@bol.com.br...bjs

Blog da Irene disse...

OLÁ MINHA LINDA! REALMENTE, TEM DIAS QUE A GENTE TEM VONTADE DE TUDO, DE SAIR DO SÉRIO. ISSO É NORMAL NO NOSSO DIA A DIA ROTINEIRO. MAS GOSTEI DA SUA RESPOSTA PARA VC. MESMA. o IMPORTANTE É VIVERMOS, E SEMPRE AO LEVANTAR DIGA, GRATA MEU DEUS, MAIS UM DIA, ALEGRE OU TRISTE, OU CHATO; SE FOSSEM TODOS IGUAIZINHOS MESMO, SERIA UM TÉDIO. PENSA BEM. HÁ VIDA. E NÓS TEMOS QUE VIVÊ-LA, QUER QUEIRAMOS OU NÃO E CABE A NÓS TIRAR DELA O MELHOR. ADMIRO SEU HUMOR PERANTE A VIDA E O QUE ELA TE APRESENTOU. A GENTE TEM QUE DAR O PULO CONFORME O TAMANHO DA PEDRA QUE ESTÁ À NOSSA FRENTE. EU TENHO CERTEZA QUE VC. PULARÁ TODAS ELAS, COM ESSA GARRA DE MULHER GUERREIRA. DEUS TE ABENÇO MINHA QUERIDA. BJKS

Renata (impermeável a) disse...

EStes dias estava como vc. TAlvez a palavra seja: TÉDIO!
Estava por baixo....

Mas, então, minha mãe, me viu caidona na cama e disse assim:

" filha, a vida é assim mesmo, as vezes estamos "por baixo"... mas, quando menos esperamos... estamos "por cima"!"

Estas palavras se fixaram.

Quando vi o titulo da sua crônica, lembrei da Roda Viva, do Chico, que é perfeita para definir esta vida louca.... de altos e baixos.

TAlvez a grande sapiencia da vida, seja, saber como lidar quando se esta por baixo................
e quando se esta por cima.......

força na nossa escalada!

Angela disse...

Hoje fiquei sabendo do seu blog através de uma vendedora de uma livraria chamada Ponte de Tábuas que fica no Jardim Botânico, pois fui comprar uma livro intitulado ANTICÂNCER - provenir e vencer usando nossas defesas naturais.
Procurei este livro pra me ajudar a digerir a notícia que recebi no dia 26/03/09 de que tinha um câncer de mama. Ainda estou como que anestesiada, apavorada e chorona. Parece que estou vivendo uma outra vida, achava que isto nunca iria acontecer comigo. Sou do interior do Rio, uma cidade chamada Paraíba do Sul, estou na casa de minha filha pois quiz ouvir opinião de um outro especialista, na esperança de existir uma outra alternativa para meu caso. Mas, infelizmente não existe. Vou ter de me submeter a uma nova cirurgia que irei marcar no dia 08/04, esta cirurgia consiste em pesquisar os linfonodos sentinelas. Ainda estou engatinhando nesta batalha que se iniciou dia 05/02 quando descobri um carocinho na minha mama esquerda.Entrei em seu blog e percebi quanta força vc tem e com certeza continuarei a procurar forças em vc. Desculpe estar ainda tão fragilizada e estar usando sua força como uma tábua de salvação. Meu nome é Angela e tenho muito prazer em te conhecer. Bjs.

Flávia Souza disse...

Só digo uma coisa: Murphy é NOSSO amigo, viu?

Quando acontece uma coisa ruim, saidebaixoooo! É azar tudo de uma vez!

se não era TPM nem coisa do tipo, era Murphy querendo aprontar com você ehehe

Beijo!!

disse...

Sei exatamente como se sente.As vezes a gente acorda sufocado, com vontade de respirar outros ares.
Sim, o tratamento ajuda muito a gente se sntir desse jeito.Mas bola pra frente, animação!
Quando estamos cabisbaixos é hora de mudar a rotina, procurar outras coisas para fazer, e esquecer esse negócio todo de quimioterapia e radioterapia.
O melhor de tudo é depois, quando nos sentimos mais fortes ainda.

Força sempre!
um beijo

Sandra Ferreira disse...

Você é realmente muito espirituosa!!! Contar para a mãe que não é mais virgem! Hehehehe. Adorei.
Abração, adoro ler o que você escreve.

karina disse...

Quanto tempo Clélia,fiquei emocionada ao ler essa postagem...agora estou de volta e vou poder ler tudinho,tudinho...
Eu sou das poucas pessoas que se comunica por carta ainda,faço questão de escrever com a velha caneta de guerra,no velho papel de guerra,tocar o papel que o outro irá tocar...

Sinta-se eternamente abraçada por mim...

E lhe desejo muita força,pq o fim disso tudo está mais perto do que nunca...

Inté muié!

karina disse...

quero entrar na fila das carta...
rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs...

RENATA disse...

Oi Clélia qto tempo hein!! Pois é minha vida ta corrida, mas a batalha com a minha mãe continua, ela ta reagindo bem a cirugia, mas de vez enquando ela se sente assim mesmo, com vontade de chorar, principalmente qdo meu pai sai e chegar tarde da noite, isso acaba com ela né, mas tento de todas as formas deixar ela feliz, ela vai começar a fazer a quimio mês q vem e tá morrendo de medo, como sempre né rs, e pra variar fiquei encarregada de comprar aqueles lenços bonitos, vc sabe aonde vende? eu n consigo achar.. bom é isso, se cuida aí e um beijo na filhona.

Bjos Renata Clara

andrea disse...

Cléo, querida. Adoro vc.
beijos.

Max disse...

Cleliazita,

além de morrer de saudades de vc, concordo total com o estado de ânimo q vc constrói a cada dia e com a vida severa q vc divulga. Essa humanidade é uma vergonha, eu sou envergonhado total, as pessoas não sei como não sentem "nada", seguem falando e agindo como se toda a "caca" q elas fazem não existisse. Por isso, vou pro meu refúgio: a musa única. Não saio do canto, mas lá parece mais seguro. Aê, nunca mais news do Zé Américo? Tempo enoooorme q nos cinge e aproxima. Bjo grande, fik com Deus, quentinho no seu coração... Inté!