sábado, 20 de dezembro de 2008

34.ACREDITE, ALGUNS AMIGOS INFELIZMENTE TAMBÉM PODEM TER CÂNCER.


Susto. Este foi o clima predominante da minha semana. Recebi um telefonema de uma pessoa muito querida, minha companheira de trabalho por aproximadamente 12 anos e mais 07 , de quebra, como amiga só e eventualmente colega de trabalho. O telefonema era quase tímido: e aí, como você está? E o tratamento? É mesmo? E a Elisa? E eu contando tudo, animadíssima, computador ligado na frente e mandando os emails enquanto respondia as perguntas que ela fazia, com pequenas variações das perguntas que muitos amigos fazem e eu já respondo no automático, não sem carinho claro e morta de alegre que tenham lembrado de mim. Fazem parte do grupo de resposta padrão, como naqueles sites que vem as “perguntas freqüentes”.
Aí de repente, parecia que me deram um “telefone” ou “sabacu” como dizem na minha terra, bem no meio das orelhas. “Sabe o que é”, continua ela com a voz mansinha que Deus lhe deu, num cerca Lourenço, ou seja , sempre arrudiando o foco da questão mais importante. Sabe o que é Clélia, relutei em te ligar por isso, mas eu também estou com câncer de mama . Falou assim na lata, o que me fez ficar tão destrambelhada que mandei o email que respondia, sem sequer checar se estava com alguma cópia oculta perigosa,tipo, uma amiga falando mal da outra e você no meio.
Puta merda, com licença da palavra, dá pra a entidade superior dar um tempo nesse assunto na minha vida? Caraça! Haja peito pra encarar uma história dessas.
Me aprumei na cadeira, entrei na pista rapidinho e fiz aquela pergunta também padrão para quem dá uma notícia desta natureza: Tem certeza?! E, em seguida, engatada uma na outra, a mesma frase padrão de uma hora assim... “vai dar tudo....”, e parei ali, no meio da frase! Não sou um ser superior para ficar adivinhando o futuro das pessoas e dizer vai dar certo em vão. Não que eu não deseje isto, pelo contrário, toc,toc,toc, mas juropordeus, pra mim foi muito chato ouvir isso quando recebi o meu diagnóstico, e tive que compartilhá-lo com outras pessoas que mal conhecia e por motivos dos mais variados. Na maioria das vezes soava que nem "puxa, como eu gosto de banana’, "que calor que está fazendo hoje, heim" ou algo assim. Esta segunda frase sim, não pode ser no automático.
Passado este momento de susto e perplexidade, veio a reação seguida: vamos lá, tem que ser rápida, que exames você já fez, quem é o oncologista, qual é o procedimento, qual a clínica, e etc e tal.
E aí a quarta feira engatou na quinta e na sexta, veio tudo na cabeça novamente, a minha dor nas pernas e meu inchaço voltaram, o astral baixou e fiquei com o coração apertado, triste por ela, cabisbaixa, como se tivesse perdido momentaneamente uma Capitã condecorada do meu exército de cura, afinal a Wanda é uma guerreira que esteve (está) sempre ao meu lado, mesmo que estivesse longe. Quando ela me ligava, eu perguntava na brincadeira e aí Wanda, tua mãe tá rezando por mim? Não sei o motivo, mas acho que a mãe dela tem o telefone vermelho do ser superior
Há um mês, exatamente, eu acabava a minha quimio e ela agora começava, e mesmo sabendo que ela está acostumada a vencer dificuldades, sei como ela se sentia nesta primeiro semana, o frio constante na barriga, o excesso de informação e das novidades que a gente vive, e então voltou tudo naquele momento. Ninguém está preparado para um diagnóstico de câncer, e mesmo que eu tenha "arrumado" uma maneira de lidar com o meu, afinal de contas acabei encarando com bom humor na medida do possível, existe também uma lista de sentimentos que se encaixam no padrão e no basição destes primeiros dias. Numa espécie de "variações"sobre o mesmo tema.
Agora já passou o susto e fiquei até orgulhosa da minha desenvoltura, podendo assim responder e me adiantar a várias perguntas que pulavam na sua cabeça. Falar do câncer segurando sua mão e a deixando mais tranqüila, descendo junto na enxurrada de novidades, medos e informaçãoes que ela foi obrigada a conviver sem querer. Mesmo um pouco capenga, faço parte do Exército de cura dela. Os nossos exércitos são aliados.
Tenho certeza que ela ficou um pouco mais aliviada, e eu também, de diminuir um pouco a loucura deste momento . Vamos nessa Wandinha, tô contigo e não abro, mesmo que seja pra te contar o final do filme.

8 comentários:

Sergio Henrique disse...

Infelizmente o câncer sempre foi um vilão na humanidade. Felizmente há novas terapias para tratar cânceres específicos. Fui da área de saúde e via o sofrimento. Mas o que me chamou a atenção foi a garra e coragem de algumas delas em saber dar com o câncer.
Pesquisas recentes têm demonstrado que a fé e auto-estima contribuem para a recuperação e tratamento do canceroso. Realmente via que as pessoas com fé (seja lá o que for), auto-estima e, principalmente, apoio familiar, cônjuge e amigos, fornem o quantum de energia humana necessária ao estado psicoloógico do enfermo. Parabéns pelo blog.

clelia disse...

Obrigada Sergio.Concordo e creio que a auto estima é fundamental para tudo que vivemos hoje, seja doença, amore, trabalho e etc. Beijão, Clélia

Pugdog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marilisa disse...

Oi Clélia!!
Caramba, tô adorando ler o teu blog...
Somos "colegas" de problema. Tive câncer de mama (TIVE, e daí??rsrsrs...desculpa a brincadeirinha) e a barra pesa de vez em quando, né? Mas compartilho contigo essa tentativa de viver isso da melhor forma que conserguimos, caso contrário tudo piora. Até os leucócitos...
Dentro de todo esse terremoto que é o câncer consegui tirar coisas muito boas. Comecei a escrever, criei um blog também e estou adorando...uma perfeita terapia. Se quiser dar uma passadinha lá vou me sentir muito honrada (http://www.pensoinsisto.blogspot.com/).
Tenho certeza que tua cirurgia vai ser um sucesso e que vais sair dessa como um ser humano muito mais
integro e "saudável".
Bom Natal e que 2009 seja, realmente, o ano da virada.
bj

Anônimo disse...

Olá, Célia. Desde o final de outubro eu venho acompanhando o teu blog. Tive um diagnóstico de nódulo numa ecografia e os médicos vinham investigando... Depois de mamografias, biópsias e tal... veio o diagnóstico final: carcinoma de ducto invasivo.
Teus comentários despojados, sem ter vergonha de mostrar os medos, mas sempre os encarando firmemente, fazendo com que tudo pareça tão mais fácil para quem ainda é marinheira de primeira viagem têm sido tão importantes para mim. Nem sei como demonstrar meus agradecimentos.
Eu encontrei teu blog quando busquei na internet como contar para meus pais (uma brincadeira, pois eu estava procurando palavras que estavam no diagnóstico da ecografia e pensando neles escrevi no google "como contar que tenho câncer?"). Li como contaste para tua filha, mas mesmo assim, esperei... Consulta com mastologista, muitos exames depois, confirmado o problema... Mais exames pré-cirurgia e encaminhamento para oncologista... Contei da melhor forma possível. Eles foram firmes. Estão me apoiando muito. Além deles e de minha irmã e meu irmão, só 2 colegas no trabalho sabem. Ainda não sei como falar... Mais ou menos como o que tu escreveste sobre a tua amiga Wanda (acho que é esse o nome).
Bobagem me preocupar em contar ou não... Logo logo vão ver o cabelo cair...
Amanhã levo os exames pré-operatórios ao mastologista e dia 2 vou à oncologista. Vamos ver como será a quimioterapia...
Parabéns pela força de vontade, pela alegria, pelas palavras...
Estou aqui sempre pedindo a Deus que tudo se resolva da melhor forma possível pra ti, pra mim, pra nós...
Um grande abraço.
Vivi

Lisa Mari disse...

Olá Clelia, resolvi visitar o seu blog depois que uma amiga querida do trabalho me lembrou do seu site, falou que iria me fazer bem e me sentir melhor ler sobre o assunto. Há 2 dias minha mãe teve o temido diagnóstico, câncer de mama. Eu queria acreditar que não fosse nada, eu que sempre procuro me preparar para piores resultados para não sofrer tanto, esperava e tinha certeza que no caso da minha mãe não deveria ser nada,afinal ela fazia exames todos os anos. Não era o que o meu noivo ( médico) confessou depois que imaginava que poderia ser algo sério, pois o local onde eu disse que a minha mãe fez a biopsia o fez ficar preocupado, mas ele nao quis me deixar mais preocupada e resolvemos aguardar o resultado. Acho que eu fiquei mais triste que a minha mãe,pois meu sentimento como filha é "Meu amor pela minha mãe é tão grande, incondicional que me mata vê-la sofrer após a descoberta" Me anima vê-la procurando ser otimista, ter fé e lutar. Então estamos lutando juntas para que tudo dê certo, pois não sou vidente para saber o que vai acontecer, mas sei que dando apoio e lutando juntas, tudo tende a correr bem, assim espero. Dia 8 nem quero saber de trabalho, a minha mãe é mais importante, eu e o meu noivo vamos com ela na primeira consulta no mastologista. Obrigada pelo seu blog!! Beijos Lisa email : lisa.nakakuki@gmail.com

Anônimo disse...

Oiee..Clélia..tbm faço parte desse grupo...hehehehe!!!! Descobri um nódulo no seio esquerdo, carcinoma ductal invasiso. Fiz uma mestecto em outubro e estou na quarta QT das oito que tenho de fazer...e depois tbm vou fazer a hormonioterapia por 5 anos...Mas queria deixar bem claro, que como vc estou levando muito bem.....tenho sim as vzs alguns enjoôs e me sinto alguns dias mais cansadas....mas td isso é passageiro...A respeito da cirurgia fique tranquila, pois td é muito avançado sabe...qdo vc perceber já acabou!!!
;tbm estou carequinhaaaaaaaa!!! Não consegui usar peruca!!!! Uso lenços e tenhos umas bandanas que uso com boné!! Foi muito bom vc ter escrito esse blog, para podermos dividir um pouco das dúvidas, medos e ansiedades!!!
Agradeço muito Á Deus por ter me dado outra oportunidade de viver de uma maneira bem melhor...e não somente sobreviver....
Bjusss no coração e tenha um ótimo dia!!! Elisangela, 32 anos
licca_sousa@hotmail.com

Cristina disse...

Olá Clélia! Conheci seu blog hoje! Tb to na luta com um ca de mama, já fiz quimio e vou fazer a radio. Gostei da sua fala e do modo como está reiventando sua vida pós cancer. É isso mesmo, reiventar sempre, um dia após o outro! Tb tenho um blog, criei para ajudar nessa fase, se quiser dá uma passada por lá. www.cristinapaiva.blogspot.com bjs......