sexta-feira, 7 de novembro de 2008

16.Meu aniversário... câncer dá prestígio, acredite

Claudio, Jê, Felipe e Lírio.
Tenho um grupo de amigos mais chegados, alguns conheço há mais de 20 anos, logo que cheguei ao Rio vindo de Manaus. Outros, mais atuais, ganharam espaço e agora mais chegados também, fazem parte do meu cotidiano de cinema, chopinho, passa aqui, estou perto e vou aí, mergulho na praia , café da manhã de fim de semana, passeios de bicicleta, enfim, pequenos prazeres cotidianos.
Tinha feito a primeira quimio e meu cabelo começava a cair, em tufos, o travesseiro era um Tony Ramos e além de passar o dia tirando cabelos da boca, uma situação pouco agradável. Ia cumprimentar alguém com dois beijinhos e o cabelo ficava no blush, ou também na boca. um nojo. Então resolvi ir cortanto os cabelos aos poucos, bem próximo da peruca que iria usar. Eu recomendo.
Resolvi festejar meu aniversário, dia 09 de julho, inclusive para deixar meus amigos mais tranquilos, afinal, quando você tem uma doença como câncer, na cabeça das pessoas já está com o pé na cova ou similar. E a coisa aumenta em proporções gigantescas, quem conta um conto aumenta um ponto! Já deixei de ser convidada para um jantar "porque estava hospitalizada e muito mal", coisas assim. Contava com a ajuda dos meus amigos para a contra ofensiva, vamos lá minha gente, preciso de axé e não de vudu! Estou bem, me tratando, com tudo em cima.
Aí foi ótimo, marcamos um regabofe light no clube que eu frequento, o maravilhoso Campestre,e o Kiko arrasou nas comidinhas típicas e na cerveja gelada, e acreditem foram TODOS os convidados, numa terça feira, se não me engano.
A Marcia, mãe da minha amiga/marida RRRRRRRôse, me deu uma roupinha nova e lindinha, bem alegre, assim como eu queria estar. E corri pro abraço. E quantos abraços!!!! Foi excelente comemorar esta data, de nascimento e celebrando a vida, muito afeto e companheirismo, muito axé!
Este aniversário me deu uma carga de força incrível, liguei minhas turbinas rumo à cura, não podia de deixar de conviver com aquelas pessoas tão legais, tão queridas, e importantes pra mim.
Não ficar na toca foi e é fundamental, tentar levar uma vida normal é a melhor coisa que podemos fazer por nós mesmas neste momento. Não forçar a barra pra nada, mas poder ser acolhida pelos que você ama nesta hora é muito, muito bom.
E vou contar uma coisa, cá entre nós.
Cancêr dá prestígio.
Como falei, foram T-O-D-O-S os convidados, e alguns ainda de sobra, uma beleza.
Aproveite :)

7 comentários:

Silvana disse...

Êta mulher peituda :))
Estou orgulhosa de você!
Boa viagem e boas energias daquela natureza exuberante.
beijo

Jê disse...

Clélia,
Lembra da foto q vc me enviou deste dia ? Vc , eu Llerene , Claudinho Lírio . Procurei por aqui mas perdi.
Bjk

Pollyana Ferrari disse...

Clélia,

Adorei seus relatos no blog. Nada como espantar os fantasmas falando neles diariamente. Isso já me disse minha terapeuta quando iniciei um roteiro para digerir um divórcio pesado. Estou há 2 horas - num domingo de sol - lendo seu dia-a-dia e confesso que sua força virou a minha também. Já nos conhecemos, apesar de não pessoalmente, mas seu filme "Mais uma vez Amor", está aqui na estante e já vi umas 5 vezes, adoro! Bom, temos a mesma faixa etária, filhos com 12 anos. Enfim, bem-vinda ao mundo das mulheres que riem das próprias agruras e seguem em frente com seus anjos da guarda. ótima semana. Postei no meu blog também.
http://remixnarrativo.blogspot.com

Fernando Alsandálio disse...

Olá, Clélia, é isso mesmo: vamos rir disso tudo agora mesmo, e não esperar pra dar gargalhadas no futuro (as pessoas não gostam de dizer "ainda vamos rir disso tudo"? -- bobagem:) o negócio é rir agora.
Acabo de ter alta de quimioterapia. Há mais tempo finalizei a radioterapia. Fiz cirurgia em novembro do ano passado. Câncer no reto. Bem próximo ao esfincter. Estou bem, e, como você, apostei no bom humor.

Um abração. Felicidades.

Fernando

Emano disse...

Muito bom! TUDO! beijos seu primo Emanuel.

Fernanda disse...

Olá Cléila, meu nome é Fernanda, jornalista, trabalho no portal oncoguia ( site voltado para pacientes e familiares de pessoas com câncer - www.oncoguia.com.br ) gostariamos de fazer uma entrevista com você, topa? Meu e-mail é imprensa@oncoguia.com.br
Mande os seus contatos para conversamos melhor. Parabéns pela matéria na Folha.

Att

Fernanda

Carlos Lacerda disse...

Adorei o seu blog. Com o seu humor vc está a caminho da cura. Rir é o melhor remédio. Sou radiestesista e terapeuta e pesquiso as causas do câncer. A raiva e o ressentimento ocupam lugar de destaque. A Astrologia confirma. O mapa astrológico de "saúde" de pessoas com câncer é quase idêntico aos mapas que indicam crise em relacionamento - casamento, filhos, amor, separação, morte.

Os médicos fazem excelente trabalho no tratamento do tumor. Mas enquanto as causas - emocionais - permanecerem intocadas, mais cedo ou mais tarde a doença baterá de novo à porta. Enquanto os sentimentos não mudarem - e o perdão é o melhor remédio - a pessoa contimuará a "atrair" o câncer. É o que podemos concluir pela projeção astrológica.

No seu caso, numa escala de zero a 10, a radiestesia indica que vc ocupa o nível "6" (o ideal é "2")
(Radiestesia é a arte de descobrir, com o pêndulo, o que está oculto aos sentidos comuns, mas que existe)

Com o seu humor vc logo vai dar a volta por cima. Os florais de Bach podem ajudar. A causa, revela o pêndulo, é o efeito retardado de choque emocional. Se o maior amor é o último, a cura está em suas mãos.

Te adoro.