quarta-feira, 26 de novembro de 2008

24. E agora, o que fazer entre a quimioterapia e a mastectomia?


Bom, estou aqui um pouco tristonha pós quimioterapia. Em cinema, quando fazemos um filme de longa metragem, geralmente passamos em torno de 8 semanas, no mínimo, convivendo com as mesmas pessoas todos os dias, 10 horas por dia. Tomamos café juntos, almoçamos juntos e acabamos quase sempre a nossa jornada exaustos e felizes. Muitas vezes convivemos mais do que com a família, que fica em casa nos esperando, ou muitas vezes, quando trabalhamos fora da cidade em que vivemos, aguardando um telefonema. A gente se afeiçoa, faz amizades, acaba outras, enfim acontece de tudo.
Quando a filmagem termina , dá aquele vazio... Chamamos em cinema Fim de Film Blues...
Pois então, acho que acabei de viver a Fim da Quimioterapia Blues. Puxa, que falta do que fazer que deu em mim hoje. Fiquei até sem vontade de escrever...Mas passa.
Até a masectomia, vai demorar no mínimo um mês, e no meio disso fim de ano, festas no escritório, no prédio, caixinha pra porteiros, entregadores de jornal , presentes pra secretária, mãe, filha, sobrinhos, todo mundo meio excitado, enfim, povo na rua! E Natal e Ano Novo, que sempre dá aquela sensação de.... fim de ano!
E eu aqui quietinha, sem querer nada disso. Ainda estou tomando aquelas injeções granoloquines (?) durante 05 dias, para aumentar a imunidade, e eu as chamo de grandelouquinhas, para baixar a bola dos efeitos colaterias, que pra mim são maiores que a quimio. Fico descadeirada, sooooooono, um pouco de dor nas pernas, um saco! Mas estou até gostando, acredita?! É que assim ainda vejo as meninas e os rapazes da Oncoclínica: Juliana, Mariana, e companhia, me afeiçoei a eles e sei que eles fazem parte do meu exército que luta contra o câncer. Até segunda estarei indo lá tomar a injeção, cumprindo a mesma rotina mas indo diminuindo o rítmo, aí vai passando o Fim da quimioterapia Blues.
Mas sei que, neste momento, não entrei ainda no clima de fim de ano que começa a aparecer aqui e alí, algumas árvores, luzes piscando, aquela árvore enorme aqui da Lagoa.... mas como sou "facinha", já já estarei aproveitando mais e mais o horário de verão aqui do Rio e saindo de bicicleta para dar um mergulho na praia do Arpoador (aí em cima à direita) e colocar aquele biquíni enorme mas decotado em consideração aos meios seios que se vão. E me despedir deles em grande estilo, já que eles me fizeram tão feliz por todos esses longos anos :) .


11 comentários:

Solange disse...

Olá Clélia,

Muita força nesta etapa.... até a cirurgia dá muito medo mesmo. Eu fiquei apavorada antes da cirurgia, até pedi p/ meu marido no caminho do hospital colocar um rock´n roll pq não queria música de velório. E lembro desta estória até hj com alegria.
Depois da cirurgia qdo a gente abre os olhos é uma sensação muito boa e todos os amigos do nosso lado, isso não tem preço.

Bjs.

Luara Calvi Anic disse...

Oi Clélia,

Tudo bem?
Sou repórter da Tpm, a Trip para Mulher, e queria muito falar com você por telefone. Por favor, você me passaria um e-mail para que eu possa te escrever? Meu contato: luara@trip.com.br

Um beijo e grata,
Luara

Gabriela Galvão disse...

Ei Cléria,

tava vendo Ledinha (leia-se Sem Censura, hah! -Zero de intimidade c/ ela, sou mera espectadora, msm! Nem debatedora eu sou pq ñ costumo participar. Enfim...) e te vi lah.

Vim te falar o seguinte: 'Tenho 30, estou solteira e desempregada, e daih?', hhahahahahaah

Sacanagem! Vim dizer que jah vi um monte de gente enfrentar uma dessas sem metade do seu bom humor e sair 'tinindo', c vai sair boa q nem um côco, q nem um docinho ou aguinha d côco, o q vc preferir.

Abração!

Rosana disse...

OI Clélia , vi vc no SEM CENSURA e vim te deixar meu carinho e desejar a vc, VITÓRIA!!

TUDO VAI DAR CERTO, NUNCA DESISTA, sei que existem momentos muito difíceis pq minha mãe passou por várias cirurgias , procedimentos diversos, o importantíssimo é ter FÉ, CORAGEM E FORÇA, VC VENCERÁ!!!

Tenho uma amiga, Eliane Furtado, Jornalista e tb está há quase dois anos passando por tudo que vc imaginar, ela É GUERREIRA, NÃO DEIXA A PETECA CAIR.
Ela tb esteve no SEM CENSURA alguns meses atrás qd lançou seu livro, CÂNCER - SENTENÇA OU RENOVAÇÃO, MARAVILHOSOOOOOOOOOOO!!!

Entre no blog dela e converse com ela, é uma pessoa MARAVILHOSAAAAAAAAA e ficará mt feliz com sua visita.
:
http://sentencaourenovacao.blogspot.com/

Beijins carinhosos e FORÇA QUERIDA, VC VAI VENCER!!!

rosario disse...

Te vi na Tv hoje,que bom que está se sentindo melhor. E 2009 que te aguarde! Eu não tenho previsão de quando terminarei minhas quimios. Uma vez que meus tumores estão ativos. Clelia faço parte de um grupo na clinica de quimios, e estamos fazendo um trabalho simples, mas muito bacana. Com recortes de revistas, estamos montando nosso passado, presente e futuro. Força!

estreladamanha disse...

Olá!
Te vi na tevê hoje!
Sempre que puder passo aqui pra dar uma lidinha!

;)

maria rezende disse...

clélia querida, noite insone e vim finalmente aceitar a dica da mamãe e conhecer seu blog, que li de cabo a rabo que nem livro, meu jeito preferido de ler blogs, aliás: fico economizando pra ler um monte de uma vez! adorei saber de você e acompanhar essas aventuras tão intensas e bem humoradas!!
um beijo grande, maria rezende

eliane furtado disse...

Parabéns pelo blog, pela entrevista. Minha amiga Rosana me sugeriu que entrasse aqui. Estarei sempre por perto. fui tb na Leda e luto contra uma metástase no fígado desde 2007.
Vamos vencer. Já não etamos?
Bem, sorte na cirurgia. Eu confio nos meus médicos. Amo eles: Flávio, Eduardo , Daniel. confie nos seus.
sou filha de médico e irmã.
Vamos vencer.
Visite lá a farra do nosso blog Blog da Eliane.
Abs, vitória sempre. firme heim!!!!!

marciasalvado66 disse...

Lendo algumas partes da sua historia, não sei se estou certa mais pude constata que seu bom humor ta te salvando, CLARO sem desmerecer seu oncologista e todos que te ajudaram em momento tão dificil, essa maneira leve como vc conta essas coisas que vc sabe que não é tão leve assim!
Vc é uma mulher de fibra PARABÉNS!
Márcia Salvador!

Anônimo disse...

Vi sua entrevista no sem censura e busquei seu blog para ler.
Temos algo em comum: mulher entre 40 e 50 anos, solteira, cânceriana do dia 9 de julho, pé na bunda em maio, nenhum caso consangüíneo de câncer, um diagnóstico vindo de uma rotina médica e um adorável médico chamado Eduardo.
No meu caso, fui à busca de uma segunda punção num pequeno nódulo na mama esquerda que foi feita de modo errado e daí, cheguei ao centro cirúrgico com 90% de alta suspeição de câncer, sem diagnóstico fechado o que aconteceria no ato da cirurgia. Tudo muito rápido e corrido em torno de dois meses aproximadamente entre a primeira punção e todos os outros procedimentos.
Passei esse tempo bem, apesar de tudo levar a crer que eu sairia da cirurgia com um expansor de mama e faria radioterapia para em seguida colocar uma prótese. Mas graças a toda espiritualidade amiga, a Deus e a psicologia, fiquei nos 10% retirando apenas o nódulo e fazendo uma plástica nos dois seios. Segundo o médico, meu nódulo é do tipo incomum e foi surpresa para a equipe.
Tive sorte e contei com excelentes médicos, apesar do jeito médico deles serem – vem sempre chumbo grosso de forma direta - que me acolheram e permitiram a construção da confiança que depositei neles.
Encontro nas minhas idas para o curativo, mulheres que tiverem diagnósticos fechados como o seu e passaram pela químio, cirurgia e o que foi necessário a cada caso individual.
Desejo a você, 'força sempre' no que tem pela frente e que continue mantendo seu equilíbrio para o seu resultado ser também bom, bom, bom como espera.

Fique bem!

Laís

Marcia Lippi disse...

Agora além da mulher interna que surgiu nos últimos tempos, virá a parte boa, a mulher externa voltará a ser linda ainda que faltando uma parte!

Adorei seu blog. Tive CA de Mama. Esse mês faz 2 anos que fui operada.
Tenho uma comunidade linda no Orkut que talvez queira conhecer e se quiser mesmo, entra já que a casa é sua !
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=26446909