domingo, 19 de outubro de 2008

4. Continuação do anterior

Então, mandei para mais 02 amigas queridas. Uma já me respondeu e disse, vai fundo dane-se o motivo, e mais ou menos assim: tudo vale a pena se a alma não é pequena viva Pedro Luis. Aí resolvi continuar por enquanto. Porque na verdade, quando recebi o diagnóstico, não consegui chorar ,urrar, ó meu Deus, e nem me descabelar (kakakakakaka, me descabelar agora é impossível!), e fiquei quase culpada por isso, resquícios do cristianismo do vovô Bessa, certamente, e do manto sagrado que se coloca sobre o assunto. Não quero diminuir o peso da situação e sei o quanto ela é grave em muitos casos, toc,toc,toc, mas sinceramente, passado o susto inicial, nunca achei que fosse morrer. E realmente ainda acho. Ou melhor, não acho. Confesso,quase envergonhada, que pensei, putz, vou colocar peitos novos e da maneira que eu quero! Quem experimentou os velhos, ok, tem milhagem. Pensei nas diversas mulheres que poderia ser com perucas diferentes, e na verdade, por não ter noção do que vinha pela frente, me auto-sacaniei ( com a reforma ortográfica será "autosacaniei" ?) o quanto pude. Me ajudou bastante. Fora, é claro, saber que câncer de mama hoje é realmente curável, e todo mundo conhece alguém, amigo de alguém, a mãe, a sogra, etc, etc que já passou por isso e está ótima! Atenção, este "está ótima!"é de regra. Se a pessoa morreu, não pergunte. E se alguém estiver contando e parar no meio, não queira, de maneira nenhuma saber o final, a pessoa citada certamente deu uma morrida, e isto não fará bem. Você começa a contar nos dedos da mão direita e da mão esquerda quem morreu e quem não morreu e vira uma espécie de ibope do cancêr, pesquisa de boca de urna, um inferno. Melhor ir concordando com a conversa, balançando a cabeça, ham, ham, mas ficar pensando em outra coisa. Além do que você vai achar que na verdade todo mundo teve câncer de mama e só você não sabia!

6 comentários:

Irina disse...

Clélia, de verdade, tô amandoooooooo rsrsrsrs Se todos fossem assim...

clelia bessa disse...

Oi Irina, a idéia é dar risada mesmo, ajuda muito. Você é a Irina que eu conheço, Irina mobile? Beijos, Clélia

lu disse...

Muito bom Clelinha,nada como encarar dessa maneira super positiva esses pequenos problemas da vida!
Á propósito,acho que a Rosane deve começar a ficar preocupada com a nova concorrente a roterista!!!!!!!!!!
Beijos e amamos muito você
Lu,Paulinho e Antônia

aula Rosane Svartman disse...

muito bom. todo mundo me pergunta " e aí, como tá a Clélia?..." Acho que agora vou simplesmente passar o link.

Cesar Cavalcanti disse...

querida amiga Clélia,

és mesmo um ser muito especial.

continuemos rindo, e daí?

beijo carinhoso do
Cesar

Irina disse...

hahaha tempos depois respondo... sim sim a Irina mobile lindona!
Sempre me divirto aqui!